quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Drones irão rastrear focos do Aedes aegypti em Recife

Equipamentos começaram as filmagens no bairro do Curado (Foto: José Dilermano Wanderley/TV Globo)

Além da força-tarefa de agentes de saúde, o município de Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), ganha o auxílio de drones na luta contra o Aedes aegypti. Durante 15 dias, as aeronaves não tripuladas irão mapear e identificar imóveis abandonados e terrenos baldios na cidade, locais com possíveis focos do mosquito. Os cinco equipamentos começam a sobrevoar a cidade na manhã desta quarta (9).


Segundo a secretária de saúde do município, Gessyanne Paulino, a estratégia tem o objetivo de aumentar o acesso a potenciais criadouros do Aedes aegypti. As aeronaves irão começar as filmagens no bairro do Curado. “O monitoramento dos drones é guiado pelo Liraa, uma metodologia adotada pelo Minsitério da Saúde em que é possível saber o nível de infestação de uma determinada área”, explica Gessyanne.
Para os moradores que trabalham durante o horário de visita dos agentes, Gessyane explica que haverá um esquema especial de visitas nos fins de semana. No próximo sábado (12), um mutirão será realizado em 14 pontos do município. Ao todo, 400 agentes de saúde e de endemias irão visitar as residências, identificar focos do mosquito e informar a população a respeito dos riscos das doenças transmitidas pelo inseto.Na sexta (11), alunos de escolas municipais do município também participarão das ações de combate ao mosquito. O trabalho também envolve visita em residências para alertar a população sobre importância de erradicar os focos do Aedes e, dessa forma, diminuir a incidência das doenças transmitidas pelo mosquito. Em 2015, Jaboatão registrou 432 casos de dengue, nove casos de chikungunya e um caso de zika.

O uso de drones é usado para reforçar a lei que permite a entrada forçada de agentes de saúde nas casas de Jaboatão dos Guararapes, sancionada pelo prefeito Elias Gomes na última segunda (7). “A intenção da lei é facilitar a entrada em locais que estão abandonados, já que a recusa de moradores à visita dos agentes de saúde é mínima. Os equipamentos de voo são uma forma de indicar locais abandonados específicos aos agentes de saúde”, esclarece a secretária.

O Drone visto na imagem é o Inspire 1: http://goo.gl/4iKuMU

Nenhum comentário:

Postar um comentário